noventa e nove

05 março 2006

Gracias, su hijo de putana









O Presidente eleito (não de todos os portugueses, porque eu não votei nele) passou 3/4 da campanha de boca fechada. Nas poucas alturas em que a abriu, falou essencialmente de economia e de como, com ele, Portugal saberia sair da "cauda" da Europa. Falou de como era preciso investir no que é de produção nacional.

Agora, dá a primeira entrevista pós-eleições a uma órgão de comunicação estrangeiro. E não me venham dizer que, assim, Portugal tem mais visibilidade... É só uma entrevista!

Assim se faz um «Portugal Maior». É preciso ter "cojones"! Cabron.

RBR